Não tenha medo de arriscar

Em seu livro “Aprenda a gostar de si mesmo”, a adorável Louise Hay cita que há uma tendência a achar que o amor a si mesmo é vaidade, egoísmo, e arrogância, e, é talvez por isso, que ele não seja despertado e estimulado em nós desde pequenos.

Somos educados e orientados para atender o desejo alheio, a expectativa dos pais, as exigências dos professores, as ordens dos adultos. Lutamos desesperadamente para responder ás solicitações externas como forma de sermos amados pelos outros.

Na canção de titãs è “preciso saber viver” explicita bem o que significa fazer escolhas e quais as consequências.

Quem espera que a vida

Seja feita de ilusão

Pode até ficar maluco 

Ou morrer na solidão

É preciso ter cuidado

Pra mais tarde não sofrer

É preciso saber viver

 

Conforme a escritora Louise Hay autora do livro ame-se e cure sua vida “medos não passam de pensamentos, e pensamentos podem ser abandonados”.

 

Precisamos entender que é necessário desconstruir aquele padrão de julgamento severo sobre si mesmo. Tanto o erro quanto o sucesso fazem parte de nosso dia a dia de nossa história, o que não pode ser permitido é ficar paralisado com nenhum deles.

 

Erramos, falhamos? Analisamos, aproveitamos e pronto. Fizemos sucesso?

 

Analisamos aprendemos e continuamos agindo para aprimorar.