Nossa auto imagem

“O Nosso Eu Verdadeiro é Muito Melhor Do que Aquele que queremos aparentar”
A maioria das pessoas não se sente capaz de despertar o amor dos outros com os quais convive. Esta incapacidade tem origem em dois grandes equívocos: o primeiro equivoco e que não somos suficientemente bons para sermos amados pelo que somos e o segundo equivoco é que só seremos amados quando preenchermos as expectativas dos outros.

Estas falhas de percepção normalmente nos levam ao terceiro erro ou equivoco: a criação de uma imagem idealizada, ou melhor dizendo, de uma máscara. O esforço continuo que fazemos para manter e para interpretar este personagem é o responsável pela maioria dos nossos sofrimentos e frustrações.

Vamos entender melhor a natureza humana. Vamos propor um modelo, só para entenderemos: O modelo proposto e formado por Duas esferas. A central, que daríamos o nome de Inconsciente, que representaria a nossa essência, o amor e a inteligência. Esta é a nossa verdadeira identidade, livre, intuitiva, criativa, espontânea, e generosa.

Daí…. Teríamos a segunda esfera que daremos o nome de Consciente. Esta esfera não totalmente desenvolvida contém o nosso egocentrismo, ódios, medos e pensamentos negativos.

Quanto menor for a consciência sobre os aspectos da 1º esfera, ou seja da esfera que demos o nome de Inconsciente, maiores serão os conflitos e a infelicidade nas nossas vidas.

Sentimento de fracasso, culpa, frustração e vergonha são indicações notórias de que a esfera que denominamos Consciente, está no comando de nossas vidas. O

Consciente e muito hábil e normalmente transfere a responsabilidade pela nossa infelicidade culpando os outros, o mundo e a vida. Ele está sempre tentando manter a ilusão e nos afastando do que denominamos de esfera Inconsciente.

A insatisfação atual e fruto do sufocamento da esfera Inconsciente e da insustentabilidade do que idealizamos para nós. Sentimos intuitivamente que estamos no caminho errado e algo precisa ser feito.

O caminho da Autotransformação é basicamente o “retorno” a esfera Inconsciente. Este estado de plenitude só é possível se conseguirmos renunciar a nossa esfera consciente ou seja aquilo que idealizamos.

Alguns pontos que podem nos ajudar no “caminho”:
* O processo é interno e não externo
* O processo é individual
* Não existe sorte neste caminho
* O deixa estar para ver como e que fica” nos afasta do caminho
* O processo é fruto de uma opção e não de uma omissão
* O caminho começa com a honestidade de aceitarmos nossa própria personalidade como ela é no momento
* O caminho é uma conquista diária
* Não ha necessidade de contratar intermediários tipo: padres, pastores, gurus e afins, afinal a esfera Inconsciente está dentro e não fora de você
* Os seus problemas sempre são e serão frutos dos seus pensamentos, sentimentos e atitudes. Mude-os e sua vida também mudará.
* Quanto mais você se afasta do que você idealizou no que demos o nome de esfera consciente, maior será a sua sensação de liberdade.
* Na Esfera Inconsciente não temos mais a necessidade de esconder o que quer que seja, de si mesmo e dos outros.
* Neste estado entregamo-nos incondicionalmente à vida.
* Na Esfera Inconsciente que muitas vezes damos o nome de Eu Verdadeiro os sentimentos e a intuição são tão confiáveis quanto o raciocínio e o intelecto.
* O caminho não é exclusividade de nenhuma filosofia, religião ou seita. As que promovem o medo e a culpa nos afastam do caminho, as que promovem o autoconhecimento nos aproximam.
* O caminho também não é exclusividade de classes, raças e até mesmo nível cultural.
* Os pré-requisitos são: Honestidade, coragem, determinação e acima de tudo coração.