Uma mulher confiante é uma mulher empoderada! 

 

Uma mulher confiante não se restringe aos padrões que a sociedade impõe. Se quiser ser caminhoneira, diplomata, artista, ou o que quer seja, vai à luta: trabalha, estuda, abre seus próprios caminhos. Mas se quiser ser dona de casa, também está tudo certo – a escolha é dela.

 

Você sabia?
A igualdade de oportunidades para mulheres nos negócios é uma bandeira contemporânea bastante forte. Agora, um documento da ONU Mulheres oficializa a adoção de práticas nesse sentido para as empresas signatárias.
Os princípios são um conjunto de recomendações que ajudam empresas a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero e o empoderamento feminino. Eles têm como base práticas empresariais reais e como elemento-chave o trabalho para promover a igualdade de oportunidades no local de trabalho. Conheça:

 

Princípios de Empoderamento das Mulheres:
1: Estabelecer uma liderança corporativa de alto nível para a igualdade entre gêneros;
2: Tratar todos os homens e mulheres de forma justa no trabalho – respeitar e apoiar os direitos humanos e a não discriminação;
3: Assegurar a saúde, a segurança e o bem-estar de todos os trabalhadores e trabalhadoras;
4: Promover a educação, a formação e o desenvolvimento profissional para as mulheres;
5: Implementar o desenvolvimento empresarial e as práticas da cadeia de abastecimento e de marketing que empoderem as mulheres;
6: Promover a igualdade através de iniciativas comunitárias e de defesa;
7: Medir e publicar relatórios dos progressos para alcançar a igualdade entre gêneros.

 

No Brasil, 93 empresas são signatárias dos Princípios e mais de 1200 CEOs ao redor do mundo já se engajaram na causa. A Microsoft Brasil, por exemplo, assinou o documento e já destaca diversos números da empresa que vão ao encontro dos ideais propostos pela iniciativa.
Segundo a empresa, atualmente, 50% dos estagiários são mulheres, 30% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres e, nas posições que se reportam diretamente para Paula Bellizia, presidente da Microsoft, o índice é de 60%.

“Tenho certeza que essa parceria com a ONU Mulheres é um passo importante para alçarmos nossos objetivos e fortalecer o acesso e a valorização da mulher no mercado de trabalho. Essa iniciativa vai além de dar voz às mulheres, ela garante o respeito à pluralidade cultural e humana. Diversidade gera inovação e precisa estar presente em todos os nossos planos e estratégias de negócios”, aponta Bellizia.